sábado, 31 de março de 2012

As gotas cristalinas deslizam nos nossos corpos durante o amor…Regam as rosa amarelas do jardim de nossa casa…Gabriela Vitória

Foto de Maria José Martins

Foto de Maria José Martins

Sei de um rio

Doris Joa-5

Sei que…para além do que os meus olhos conseguem alcançar

Existe um rio de águas de bonança e um olhar de esperança

Tem margens verdejantes…verde esperança…olhar de criança

Tem árvores de porte altivo…mas de ar sereno e cativo

Que abrigam os pássaros no seu seio…dão sombra e criam enleio

Flores de todas as cores…borboletas…beija-flores e seus amores

Um rio assim…tem de ser feito de amor…paz…carinho e gratidão…

Quando encontrar…o meu rio…descanso a alma e o coração.

Catarina Pinto

Imagem de Doris Joa

BEIJOS TERNOS E ETERNOS

Eva Antonini - 1

Bocas ávidas,

entreabertas à vida...

Sentir esperando.

vontade de carinho, do querer.

Beijos ternos,

daqueles que alentam o coração,

fazendo carícias na vida.

Beijos eternos,

daqueles que tatuam a alma,

ficam para sempre na gente.

Junção perfeita do terno e eterno,

numa parceria da essência,

da pureza do ser...

Bocas fundidas,

na explosão do amor.

Bocas fundidas,

iniciando a junção carnal,

de tudo, amoroso ritual,

de mim, de você, nosso,

na ternura de um beijo eterno e terno,

acontece a consumação do amor...

Marcial Salaverry

Imagem de Eva Antonini

quinta-feira, 29 de março de 2012

Quero o que não vejo

 

Vera Bakhchevan-5

Não quero uma vida pequena, um amor pequeno, uma
alegria que caiba dentro da bolsa. Eu quero mais que isso.
Quero o que não vejo. Quero o que não entendo. Quero
muito e quero sem fim. Não cresci pra viver mais ou menos,
nasci com dois pares de asas, vou aonde eu me levar. Por
isso, não me venha com superfícies, nada raso me satisfaz.

Mulher Solitaria

Imagem de Vera Bakhchevan

terça-feira, 27 de março de 2012

...ME ARRANQUE DE TI.....................

...ME ARRANQUE DE TI.....................

CORPO…

…Que me toque

Me revolte e revire

Até ao âmago…

…Do limite...

Que desenraíze de mim

A sensível insensatez

Que arranque de uma só vez

As cordas deste bandolim…

Que a tempo desvaneça

Me arranque do ser

Este desejo de ter

Que adormecendo memória esmoreça…

Que me volte

Que me vire

E dessa espiral me tire...

Um CORPO…

…Que me livre e solte...

...Deste vício…

Quente...

Suplicio…

:

:

:

:

:

:

:................…de TI…........

:

:

:

:

Rzorpa

Se me quer

Mary Jane Ansell - 2

Se me quer, converta o caminho e volte.

E dos seus lábios maduros, colha o fruto

Pois descobri, será sempre meu Norte.

E dessa necessidade estranha, não me furto.

Vem, sussurra os versos da tua poesia.

Derreta o gelo dessa longa madrugada.

Soletrando meus sonhos, a pele acaricia.

Mergulha tua latência na alma represada.

Então entrarei em tuas frestas, teus vãos.

Te acolhendo feliz, lânguido em meu regaço.

E deitaremos às margens do nosso cansaço.

E quando outra vez na desmedida amplidão.

Se for e me deixar no silêncio abissal, no breu.

Leve meu coração, que será para sempre teu.

Mulher Solitaria

Imagem de Mary Jane Ansell

SECRET

Yarek Godfrey -3

Segredo

É pensamento escondido em pedra

Que forma

Deforma

No oco do oco de sua crueza

E quando

Dela sai

Pode voar

Ou cair

Abrindo

F E N D A S

Wanda Monteiro

Imagem de Yarek Godfrey

MÃOS

Hiroko Sakai -

Minhas mãos procuram

No escuro

Uma palavra perdida

Minhas mãos movem-se

Às cegas

Nessa busca parida da dúvida bruta

Minhas mãos

Uma palavra

Uma busca

E o breu implacável do Verbo oculto


WANDA MONTEIRO

Imagem de Hiroko Sakai

MANTO DE SONHOS

 

Soledad Fernández (25)

MANTO DE SONHOS

Desse manto que me cobre

Já tentaram me despir

Desse manto que me apascenta

Já tentaram me salvar

Meu manto

Meu desabrigo do real

Quando dele

Tentei me despojar

Pateticamente

Vestida com a trama da razão

Adoeci

Desnudada de asas

E sentidos

WANDA MONTEIRO

Imagem de Soledad Fernández

Aprendi

Danilo Ricciardi - 11

Aprendi …

que eu não posso exigir o amor de ninguém.

Posso apenas dar boas razões

para que gostem de mim e ter paciência,

para que a vida faça o resto.

Aprendi …

que não importa o quanto certas coisas sejam importantes para mim,

tem gente que não dá a mínima e eu jamais conseguirei convencê-las.

Aprendi …

que posso passar anos construindo uma verdade e destruí-la em apenas alguns segundos.

Que posso usar o meu charme por apenas 15 minutos, depois disso, preciso saber do que estou falando.

Eu aprendi …

Que posso fazer algo em um minuto e ter que responder por isso o resto da vida.

Que por mais que se corte uma pão em fatias, esse pão continua tendo duas faces,

e o mesmo vale para tudo o que cortamos

em nosso caminho.

Aprendi …

Que vai demorar muito para me transformar na pessoa que quero ser, e devo ter paciência.

Mas, aprendi também que posso ir além dos limites que eu próprio coloquei.

Aprendi …

que preciso escolher entre controlar meus pensamentos ou ser controlado por eles.

Que os heróis são pessoas que fazem o que acham que devem fazer naquele momento, independentemente do medo que sente.

Aprendi …

que perdoar exige muita prática.

Que há muita gente que gosta de mim, mas não consegue expressar isso.

Aprendi …

Que nos momentos mais difíceis, a ajuda veio justamente daquela pessoa que eu achava que iria tentar piorar as coisas.

Aprendi …

que posso ficar furioso,

tenho o direito de me irritar,

mas não tenho o direito de ser cruel.

Que jamais posso dizer a uma criança que seus sonhos são impossíveis, pois seria uma tragédia para o mundo se eu conseguisse convencê-la disso.

Eu aprendi …

que meu melhor amigo vai me machucar

de vez em quando, e que eu tenho que

me acostumar com isso.

Que não é o bastante ser perdoado pelos outros, eu preciso me perdoar primeiro.

Aprendi que,

não importa o quanto meu coração esteja sofrendo, o mundo não vai parar por causa disso.

Eu aprendi…

Que as circunstâncias de minha infância são responsáveis pelo que eu sou, mas não pelas escolhas que eu faço quando adulto;

Aprendi …

que numa briga preciso escolher de que lado eu estou, mesmo quando não quero me envolver.

Que, quando duas pessoas discutem,

não significa que elas se odeiem;

e quando duas pessoas não discutem

não significa que elas se amem.

Aprendi que …

por mais que eu queira proteger os meus filhos,

eles vão se machucar e eu também.

Isso faz parte da vida.

Aprendi …

que a minha existência pode mudar para sempre,

em poucas horas,

por causa de gente que eu nunca vi antes.

Aprendi também que …

diplomas na parede não me fazem mais respeitável ou mais sábio.

Aprendi …

que as palavras de amor perdem o sentido,

quando usadas sem critério.

E que amigos não são apenas para guardar no fundo do peito, mas para mostrar que são amigos.

Aprendi …

que certas pessoas vão embora da nossa vida

de qualquer maneira,

mesmo que desejemos retê-las para sempre.

Aprendi, afinal …

que é difícil traçar uma linha entre ser gentil,

não ferir as pessoas,

e saber lutar pelas coisas em que acredito.”

William Shakespeare

Imagem de Danilo Ricciardi

sexta-feira, 23 de março de 2012

Suspensão Coloidal

Ivan Slavinsky - 8

Penso no ser poeta, e andar disperso

na voz de quem a não tem;

no pouco que há de mim em cada verso,

no muito que há de tudo e de ninguém.

Anda o cego a tocar La Violotera,

e eu a vê-lo e a cegar;

e a pobre da mulher esfregando e pondo a cera,

e eu a vê-la, e a esfregar

Que riso perto, que aflição distante,

que infíma débil, breve coisa nada,

iça, ao fundo, esta draga carburante,

rasga, revolve e asfalta a subterrânea estrada?

Postulados e leis e lemas e teoremas,

tudo o que afirma e fura e diz sim,

teorias, doutrinas e sistemas,

tudo se escapa ao autor dos meus poemas.

A ele, e a mim.

António Gedeão

Imagem de  Ivan Slavinsky

Motivo

A_D_ Cook - 1

Eu canto porque o instante existe

e a minha vida está completa.

Não sou alegre nem sou triste:

sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,

não sinto gozo nem tormento.

Atravesso noites e dias

no vento.

Se desmorono ou se edifico,

se permaneço ou me desfaço,

— não sei, não sei. Não sei se fico

ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.

Tem sangue eterno a asa ritmada.

E um dia sei que estarei mudo:

— mais nada.

Cecília Meireles

Imagem de A_D_ Cook

As Pombas

Javier S_ Barrera

Vai-se a primeira pomba despertada...
Vai-se outra mais... mais outra... enfim dezenas
De pombas vão-se dos pombais, apenas
Raia sanguínea e fresca a madrugada...

E à tarde, quando a rígida nortada
Sopra, aos pombais, de novo, elas, serenas,
Ruflando as asas, sacudindo as penas,
Voltam todas em bando e em revoada...

Também dos corações onde abotoam,
Os sonhos, um por um, céleres voam,
Como voam as pombas dos pombais;

No azul da adolescência as asas soltam
Fogem... Mas aos pombais as pombas voltam,
E eles aos corações não voltam mais...

Raimundo Correia

Imagem de Javier S_ Barrera

“Foi na manhã acesa em ti, abacate, abrunho E a pêra francesa, romã, framboesa, kiwi”

Quando eu vi olhos de ameixa e a boca de amora silvestre
Tanto mel, tanto sol, nessa tua madeixa, perfil sumarento e agreste

Foi a certeza que eras tu, o meu doce de uva
E nós sobre a mesa, o amor de morango e cajú

Peguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeça
Vem cá tenho sede, quero o teu amor d'água fresca
Peguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeça
Vem cá tenho sede, quero o teu amor d'água fresca, ohoh...

Tens na pele travo a laranja e no beijo três gomos de riso
Tanto mel, tanto sol, fruta, sumo, água fresca, provei e perdi o juízo

Foi na manhã acesa em ti, abacate, abrunho
E a pêra francesa, romã, framboesa, kiwi

Peguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeça
Vem cá tenho sede, quero o teu amor d'água fresca
Peguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeça
Vem... vem... vem cá, tenho sede, quero o teu amor d'água fresca

Ah... foi na manhã acesa em ti, abacate, abrunho
E a pêra francesa, romã, framboesa, kiwi

Peguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeça
Vem cá, tenho sede, quero o teu amor d'água fresca
Peguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeça
Vem cá, tenho sede, quero o teu amor d'água fresca

Peguei, trinquei e meti-te na cesta

Rosa Lobato de Faria

sábado, 17 de março de 2012

“Eu quero ser possuída por você, Pelo seu corpo, Pela sua proteção e pelo seu sangue. Me ama”

“A vida inteira resumida só no desejo da tua boca

dizendo o meu nome, da tua mão conduzindo a minha mão,

Do teu corpo revelando o meu corpo como se o mundo fosse e existisse
pela primeira vez.”

“Eu sou a luz das estrelas, eu sou a cor do luar Eu sou as coisas da vida, eu sou o medo de amar Eu sou o medo do fraco, a força da imaginação”

“Não falo de amor quase nada”

“Teu cheiro me dá prazer Quando estou com você Estou nos braços da paz”

“Amália quis Deus que fosse o meu nome”

Amália
quis Deus que fosse o meu nome
Amália
acho-lhe um jeito engraçado
bem nosso e popular
quando oiço alguém gritar
Amália
canta-me o fado
Amália
esta palavra ensinou-me
Amália
tu tens na vida que amar
são ordens do Senhor
Amália sem amor
não liga, tens de gostar
e como até morrer
amar é padecer
Amália chora a cantar!
Amália
disse-me alguém com ternura
Amália
da mais bonita maneira
e eu toda coração
julguei ouvir então
Amália p'la vez primeira
Amália
andas agora à procura
Amália
daquele amor mas sem fé
alguém já mo tirou
alguém o encontrou
na rua com a outra ao pé
e a quem lhe fala em mim
já só responde assim
Amália? não sei quem é!

José Galhardo / Frederico Valério

“Dizer que em tudo escuto a tua voz”

CHAMAR-TE MEU AMOR
Dizer que tudo em ti é movimento
e que há corças nas selvas em redor
do amor que às vezes faço em pensamento
ou do que eu penso quando faço amor.
Dizer que em tudo escuto a tua voz
no mar no vento na boca das searas
o maior amor do mundo somos nós
cobrindo a solidão de pedras raras.
Dizer tudo o que eu digo nunca basta
pois para ti não chegam as palavras
meu amor é uma expressão que já está gasta
mas tem sempre um aroma de ervas bravas.
É por ti tudo o que faço e digo e chamo
por ti eu tudo invento e tudo esqueço
dou tudo o que há em mim quando te amo
mas nem sei meu amor se te conheço.

(Letra: Joaquim Pessoa)
Arranjo: Pedro Osório)

Tenho sede de fazer amor contigo…

Há um pássaro que voa
Sobre as janelas do dia
Fugiu do meu peito
Poisou no meu leito
E fez
Um ninho de alegria.
Alegria que nasceu
De uma rosa quase pura
Meu amor dormindo
Nesta noite abrindo
Em flor
A minha ternura.
Tenho sede de viver
Tenho a vida à minha espera
Sou uma rosa a crescer
No azul da primavera.
Tenho sede de viver
De fazer amor contigo
Quantas vezes eu quiser
Amante, amor e amigo.
Há palavras que regressam
Como um beijo à minha boca
Para possuir-te
Para pertencer-te
A noite
Será sempre pouca.

(Letra: Joaquim Pessoa)
(Música: Tozé Brito)

Sinto o silêncio do teu corpo na minha boca…GV

Tiago Bettencourt & Mantha

Se cuidas de mim

Se cuidas de mim eu…
eu cuido de ti também
Dentro da minha mão
eu guardo-te bem
Se amarmos do principio
se perdermos tudo outra vez
vou marcar-te bem
como um sonho vão
dentro da minha mão

Se cuidas de mim
eu cuido de ti também
Se vens em paz
eu venho por bem
Se formos bebendo o chão deste caminho
vou guardar-te bem
agora que sei
que não vou sozinho.

por isso vem…
Há uma praia depois sombra
uma clareira para iluminar
Há um abrigo no meio das ondas
tudo é caminho para iluminar
Por isso vem.

Tiago Bettencour

Um pouco de céu

DANÇA em VERSOS...

 

Kelvin Lei -6

Dizem que dançar é uma manifestação do corpo;

Ou ainda que é manifestação da alma...

Forma de expressão dos sentimentos...

Mas pode ser a poesia nas mãos do poeta.

Tanto faz que manifestação essa arte seja,

O importante é permitir-se, dançar, dançar até o topo...

Sabendo que dali não mais importa quem o veja!

Sentindo-se tão importante quanto o outro.

Dançar é como deixar a música, a poesia, tornarem-se uma nova canção,

Onde os versos insinuam, anunciam outra dimensão...

Sem temer que dançar, voar, poetizar ... confundam qualquer razão,

Pois serão fundidos numa só palavra... Que não outra, senão : PAIXÃO!

Nesse instante tão sublime, pode nascer um novo amor,

E por mais que o poeta lute ...por temer, sofrer ou causar dor...

Ele sabe que no bailar de seus versos, suas palavras tomarão cor...

Trazendo muita alegria a todo aquele que à poesia dá valor!

Assim, todo poeta aceita bailar, dançar e com seus versos encantar...

Criando, dançando,poetizando sem parar

Nessa sua canção vai se libertando...

Em sua criação vai subindo e cada vez mais flutuando no ar.

Como um sorriso sai em busca de abrigo,

Pés se posicionam apenas conduzindo...

Para que casais possam simplesmente bailar...

O poeta posiciona-se para sua poesia criar.

Sentir... conduzir... criar... bailar... AMAR...

Como o suor que numa dança molha e excita,

Versos imaginados são registrados pela escrita...

Como não há forma da dimensão da dança explicar,

Não há sentimento que o poeta não possa expressar.

A poesia como a dança tem seu próprio ritmo... Uma música que entoa...

Voa... para muitos lugares, épocas inimagináveis...

Ar e espírito leves como a pluma, flutuam, viajam, deslizam...

Onde dois tornam-se um... na arte única de AMAR...

Escrever a poesia é como dançar...

Onde o poeta pode ser feiticeiro ou apenas enfeitiçar. (L.M.T)

Luciene Martins Tanaka

Imagem de Kelvin Lei

“Acorda, menina linda Vem oferecer O teu sorriso ao dia Que acabou de nascer”

Pintura de Lyubomir Kolarov

lyubomir kolarov-3

Vigorosa e expressiva técnica presente na pintura de Lyubomir Kolarov.

Kolarov vive e trabalha em Plovdiv, Bulgária…Fonte

Lyubomir Kolarov (29)lyubomir kolarov-1

TELA DA ALMA

 

Juan Medina-20

No meu quarto vazio

Olho a tela em branco

Reflexo da minha alma

Vazia me sinto

Aperto as mãos

Espero um sinal de ti

Para poder pintar a minha alma

Serro os dentes

Olho a tela em branco

E nela imagino cores

Cores que pintarão a tua alma

E ela se fundirá em mim

E ai

Olho novamente a tela

Já tem cor e alma

Estou plena de cores

Não me sinto vazia

Nana Martins

Imagem de Juan Medina

O meu coração tem laços

Hélène Béland-11

O meu coração tem laços

Laços entrelaçados

Que não desenlaçam

Queria eu desenlaçar

Para ele poder voar

Junto dos teus laços

Nana Martins

Imagem de Hélène Béland

quinta-feira, 15 de março de 2012

Sempre que te ouço

DI VOGO-4

Sempre que te ouço,

Meu coração pula,

Sempre que te vejo,

Minha alma renasce,

Posso até viver,

Mil anos luz,

Mas meu bem,

Só tu ês a minha vida.

Ês o meu prazer,

Ês quem me dá esperança,

Ês a minha aliança,

Ês quem me conduz e me faz criança.

Amo-te minha princesa,

Estejas ao meu lado,

ou a grande distância,

Espero por ti, mesmo nesta ancia.

Cristina Melim

Imagem de DI VOGO

Fios de prata em seda

Sergey Ignatenko-2

Fios de prata em seda
Bordei os contornos do teu corpo
Num tecido de seda
Com fios de prata
... Curiosas espreitavam as estrelas
E a lua, envergonhada
Escondeu-se entre as nuvens.
(…)
Corpo musculado
Pele morena
Nádegas rijas
Assim te bordei
O suor que escorria no teu rosto
Brilhava com o sol.
Desejei mergulhar em cada gota
E sorver o teu ser
Saciar a minha gula!
(…)
Beijei-te másculo mar de desejos
Senti o meu ventre a fervilhar
O meu bordado ganhou vida
E eu a vibrar…
(…)
Guardei o dedal
Embarquei na magia de seda
Tecida
Sou tecedeira de sonhos, sei sonhar
Não acordo, embalo nesta satisfação e sinto-me feliz…
Dobro o pano, acaba o sonho
Resta o sorriso de satisfação.
Talvez volte a bordar em seda, com fios de prata
Ou talvez não
Mas hoje sorrio, embalada pelas estrelas curiosas
Sentada na lua envergonhada…
Céu Cruz

Imagem de Sergey Ignatenko

quarta-feira, 14 de março de 2012

EU SEI AQUILO QUE SOU

Brenda Burke-8

Eu sei aquilo que sou

Sou tudo e não sou nada

Grão de areia na imensidão do deserto

Fio de água no imenso oceano

Conheço os limites que me agridem

Guerreira nas batalhas impossíveis

Lutadora dos ideais que existem

No meu “eu” que muitos desconhecem…

Eu sei aquilo que sou

Dançarina no palco do pensamento

Fiel ao amor que me alimenta

Vencedora e também vencida

Corajosa no assumir do sentimento

Rude e intempestiva na injustiça

Crente na pureza da vida

Abominando a cobardia…

Eu sei aquilo que sou

Um átomo que se activou

Da célula equilibrada que dá vida

A lava derramada pelo vulcão

Que aquecia esta terra perdida

Vim efectuar uma arrojada missão

Que irá serenamente ser cumprida

Nesta passagem que não é mais que uma ilusão…

Ana Gonçalves

Imagem de Brenda Burke

 

terça-feira, 13 de março de 2012

Danço na ternura dos teus lábios…danço nas palmas das tuas mãos…danço sempre o teu dançar, na brisa do luar...GV

DE VOLTA PRA MIM...

Edward John Poynter

Não vale apena esperar chegar ao topo pra enxergar as belezas do universo
Decidi escalar a montanha em espiral
Assim não perco os encantos e as surpresas de cada caminho
Quero a brise suave soprando no rosto
Quero retirar nem que seja dos escombros um novo sonho ou lapidar aquele que ainda estava lá
Quero ser música...
As sete notas musicais não emitem sons se não tirarmos delas um acorde
Eu quero me olhar no espelho e me ver inteira
Eu quero ver menina
Eu quero me ver mulher
Eu quero me ver guerreira como sempre fui
Hoje enquanto tomava banho no horário do almoço, imaginei a diferença entre uma flor e uma pedra
Um flor é efêmera
Uma pedra pode durar milhões de anos
Uma flor precisa de cuidados, de água, sol, adubo, carinho...
Uma pedra não precisa de nada pra sobreviver
A pedra é forte mas, poucos param diante dela
A pedra não inspira, embora tenha seu valor indiscutível
E pensando nesses pequenos detalhes
Pensando nos comentários que pessoas tão amadas deixaram aqui
...............................................................
Eu não estou desistindo das minhas metas
Não estou retrocedendo
O momento é cinza
Mas eu quero ser reflexo, se não poder ser estrela
Eu quero caminhar respirando suavemente
Eu quero o encontro do rio com o mar
Eu quero a paz
Eu quero a mim mesma
Eu quero um pedaço de infinito
Eu quero um lugar onde o impossível não existe
Eu quero o meu sorriso mais aberto
Eu quero encontrar a vida de braços alados
Eu quero o meu reencontro comigo
Eu quero silenciar minha voz num grito chamado FELICIDADE!
Mesmo que seja entre pedras e flores...

Tereza Maria Caarneiro

Imagem de Edward John Poynter

SORRISO ENIGMÁRICO

Klaus Klampert - 3

Um sorriso de luar
Que acalma, faz sonhar
Um sorriso enigmático
Envolvente, carismático
Um sorriso tão feliz
Nada fala
Tudo diz
Um sorriso que traduz
Uma centelha de luz
Que converte que conduz
Um sorriso indiscritivel
Indizível
Não pode ser pintado
Não pode ser falado
Cantado ou definido
Apenas pode ser olhado
Sentido, admirado
Num rosto ensolarado
De quem o faz sorrir

Tereza Maria Caarneiro

Imagem de Klaus Klampert

CAMINHANTES NA AREIA

Zhong Yang Huang

Sonhei que sonhava
Fim de tarde
A lua quase chegando para substituir o sol
O mar calmo
A brisa vesperal quase noturna , desalinhava os cabelos, tocando os rostos...
A roupa branca esvoaçante com a dança do vento
Os ´pés descalços marcavam a areia úmida
O ir e vir das ondas se fazia canção
Batia suave o coração dentro do peito
E um sorriso maroto contornava os lábios
O tempo passava despercebidamente
Era mágico está ali...
Dentro daquele sonho
Do lado esquerdo segurava a mão de alguém que ria comigo
Que falava pouco mas era mais que companhia
Sintia seu cheiro e a suavidade do toque de sua mão
Caminhávamos sem rumo
De nada pra lugar nenhum
Só pelo prazer de caminhar
Respirava fundo, enchendo o pulmão de ar e o coração de paz
Sem pensar no valor do dólar
Nas guerras do Oriente Médio
Nem em nada que acontecia fora daquele cenário
Já se fazia noite
E uma lua prata se misturava ao mar
Refletia-se em fios de cabelos negros de alguém
Cujo rosto não sei descrever...

Tereza Maria Caarneiro

Imagem de Zhong Yang Huang

segunda-feira, 12 de março de 2012

QUERO-TE LIVRE...

John Pitre

Amo-te livremente
Alado
Qual condor em pleno voo
Amo-te livremente
Pra percorrer todo o universo
Na liberdade do meu verso
Amo-te livremente
Nesse azul liberdade
Quando quiseres pousar
Meu coração te espera
Meus braços se faz seu ninho
Amo-te livremente
Sem aprisionar-te
Apenas amo-te
Ama-me do seu jeito
Com teu amor mais suave
LIVRE!
Quero voar contigo
Meu amado
Meu amigo
Obrigada por amar-me
Da sua forma
Por me fazer seu ANJO
Para voar contigo...
E nesse voo
O AMOR se faz cenário de nós dois

Tereza Maria Caarneiro

Imagem de John Pitre

FELICIDADE...VOCÊ

Katia San Millan -4

FELICIDADE...VOCÊ

Você sabia que alegria é diferente de felicidade?

Alegria é está de bem com a vida

Com paz e com saúde

É ter as contas em dia

Um trabalho que nos agrada

E um lar aconchegante para voltar

Felicidade é sentir o sangue correndo nas veias

Os olhos brilhando

O coração na boca

O riso estampado nos lábios

Felicidade é quando queremos

Que o universo inteiro

Caiba dentro do nosso abraço

Quando a lua , as estrelas, o céu, a mar

São menores que a nossa emoção

É quando a poesia flui da imagem mais bela do planeta

O rosto da pessoa amada

Felicidade é quando não se tem medo de acordar desse sonho

É eternizar esse momento mágico

Essa música, essa presença, esse encanto

Essas frases, esse silêncio

Felicidade é correr de encontro ao vento

É fazer uma prece silenciosa...

Felicidade é se olhar no espelho

E ver só sorrisos, é ter cara de boba

Felicidade é quando a vida tráz uma surpresa inesperada

A tantos desejada, quase esquecida

Felicidade é está com você...

Só com você

Apenas você

Felicidade é tudo isso que não cabe em meus versos

Felicidade é tudo isso que só você me faz sentir

Felicidade é esse estado de êxtase

É cada instante vivido, guardado no peito

E não cabe no peito, nem nessa canção que escuto ao escrever

Felicidade...

É VOCÊ...

Tereza Maria Caarneiro

Imagem de Katia San Millan

 

Danço contigo amor!..ao sabor de morangos com chocolate e uma flor…danço contigo meu amor…GV

domingo, 11 de março de 2012

Saudade...

Renso Castaneda-24

Saudade...
A vida é dura (aprendi-o cedo)
Mas aprendi também
Que a vida é bela
Verdade incontornável
...Aos meus olhos, ao meu coração
E à luz e essência do que sou!!
Por ti,
Brilham estrelas lá no alto
Por ti,
Iluminam o meu caminho e deixam centelhas
Com um único propósito - chegar até mim…
Para que eu possa tocar o céu!

Cristina Martins

Imagem de Renso Castaneda

A Noite

Terje Adler Mork

A noite cobre-se de magia,
veste-se de encanto e de luz,
há nela uma estrela que brilha
e que a minha mente seduz.
Exala aroma agradável,
quando nela paira o silêncio,
meu ser é mais afável,
ao inalar seu incenso.
É um pássaro que voa
bem alto no pensamento,
uma melodia que entoa,
poesia no firmamento.
Helena Martins

Imagem de Terje Adler Mork

Teresa Cortez

Teresa Cortez

Teresa Cortez, nascida em Leiria, tem o curso da Escola António Arroio e foi professora de Artes em várias escolas, sendo a última a Josefa d'Óbidos.

Desde muito cedo que se dedicou às Artes Plásticas, particularmente cerâmica, tendo trabalhado com o Mestre Querubim Lapa no seu atelier da fábrica Viúva Lamego, antes de instalar o seu próprio.

Da sua actividade como ceramista destaca-se o conjunto de painéis murais colocados em edifícios públicos e privados, distribuídos por vários pontos do país, tendo dois deles sido galardoados.

Em 1987 ganhou o Prémio de Azulejaria da Câmara Municipal de Lisboa com o painel de cerâmica instalado na Avenida da Liberdade 144/146.

Em 2000 foi-lhe atribuída pelo Júri do Prémio Municipal Jorge Colaço uma Menção Honrosa ao painel de azulejos colocado na Escola Secundária Josefa d'Óbidos.

Fonte:

ceramica teresa cortez 1985 fabrica ceramica viuva lamego avenida da liberdade flores jarros flowersFernando Pessoa em barro, de Teresa Cortez

Mercado Municipal do Lumiar, Teresa Cortez, 1993

sábado, 10 de março de 2012

Tenho Que Reencontrar-te

Katia San Millan - 3

tenho que reencontrar-te,
saber se os teus beijos são assim, reais,
como a minha boca conta por dentro
e se os teus dedos percorreram em mim
labirintos, teus!
... tenho que reencontrar-te,
olhar-te,
tocar-te,
cheirar-te de novo,
saber se o teu sabor é este néctar
que me corre na voz.

LUISA AZEVEDO

Imagem de Katia San Millan

RENTE A TI

A.D. Cook-3

meu amor… sabes,
o meu corpo quer-te,
não eu!
é na pele que te sinto… sei-o
quando fecho os olhos e não te vejo!
à noite estás rente a mim,
com a tua boca na minha,
o teu arfar dentro do meu,
os dedos cruzados nos nós que aperto...
sinto-o!
cobre-me uma humidade, não só minha,
e sei-o!
sobe-me no ventre a maré das lagoas lunares,
branca névoa saturada de vidas.
sabes, quando o meu corpo te quer,
e eu não, dói-me ainda mais a tua ausência!

LUISA AZEVEDO

Imagem de A.D. Cook

quinta-feira, 8 de março de 2012

Se…

CARLOS SCHWABE-3

Se as estrelas falassem

Elas já teriam lhe entregado todo o meu amor.

Se a lua entendesse minhas palavras,

Já teria me mostrado a direção de teu coração.

Se as ondas do mar sentissem,

Já teriam sentido todo o meu amor e me compreenderiam.

Se os Anjos pudessem,

Me entregariam o meu destino,

Me deixariam ver o meu futuro,

Me deixariam com a certeza do amanha.

Se eu pudesse,

Pularia sobre as nuvens,

brincaria com as estrelas,

e cantaria com os Anjos.

Seu eu pudesse viajaria no infinito

Andaria sobre as águas,

Ficaria numa tempestade sem me molhar.

Se eu pudesse salvar o mundo com um simples gesto,

Ou um simples olhar,

ele já estaria salvo.

Se eu pudesse eu faria você me amar

Ou até mesmo me esquecer de ti.

Mas tudo e fantasia de uma simples menina,

Mas pra te guardar

Anjo eu seria,

Se Eu Pudesse.....

Luisa Sousa

Imagem de CARLOS SCHWABE

terça-feira, 6 de março de 2012

Tu és o azul que dá brilho o meu corpo…tu que respiras o meu respirar…Eu deito-me no teu olhar…Azul !Azul!...mar…GV

Uma parte de mim…

Traduzir-se

Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.

Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
almoça e janta:
outra parte
se espanta.

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir uma parte
na outra parte
– que é uma questão
de vida ou morte -
será arte?

Ferreira Gullar

Meu amor

Mensagem, por Fernanda Montenegro

"Quantos sentimentos você escondeu ao longo do caminho"
"O tempo definitivamente não pára"

“É o detalhe que faz a diferença”