terça-feira, 15 de maio de 2012

A menina do higroscópio

Yuri Dubinin -1

A menina do higroscópio
Quando o velho do higroscópio desaparecer no fundo da casota de madeira
E a menina do cesto assomar à portinha do lado,
hei-de ir contigo passear ao campo.
Andando, poisarei o meu braço no teu ombro
e com dedos de amor beliscarei
o lóbulo macio da tua orelha.
Quando a menina do cesto assomar à portinha do higroscópio
de laçarotes nas tranças,
a grande saia rodada, azul da Prússia,
com três barras vermelhas,
e o cesto a transbordar de flores e frutos,
hei-de ir contigo passear no campo.
Oculta na floresta, a casota florida do higroscópio,
tem o telhado erguido em ângulo agudo
para que a neve escorra,
e uma grinalda de malmequeres amarelos a bordar o beiral,
Enquanto a corda de tripa não puxar o velho para dentro da casota
e com ele as asas de grilo da sua labita preta,
baterei com os pés no chão para aquecer, e esperarei
que a menina do cesto assome na portinha do lado.
Assim que ela assomar, estremunhada e surpresa,
ébria do sol, tonta do cheiro das flores,
hei-de ir contigo passear ao campo.
Iremos pelos atalhos
e sobre ti me deitarei na terra.
Encostado ao teu corpo
ouvirei as abelhas pairando sobre as flores como helicópteros
e o surdo escorrer dos grãos de pólen
buscando o óvulo, deflagrando nele
a primavera eterna.
Quando a menina do cesto assomar à portinha do higroscópio
e os pássaros de gesso debicarem as pontas dos seus tamancos,
Oh! como vai ser bom!
mesmo que tu não venhas nem existas,
hei-de ir passear ao campo.

António Gedeão

Imagem de Yuri Dubinin

sábado, 5 de maio de 2012

“Se enamora Quem vê você chegar com tantos sonhos E os olhos tão ligados nesses sonhos Tesouros de um amor que vai chegar”

“Fico só pensando em você
E juro
Que vou te tirar pra dançar
Um dia
Mas uma canção é tão pouco
Nem cabe
Tudo que eu quero falar”

“Se enamora
E fica tão difícil
De ir embora
E às vezes escondido
A gente chora
E chora mesmo sem saber porque
Se enamora
A gente de repente
Se enamora
E sente que o amor
Chegou na hora
E agora gosto muito de você”

terça-feira, 1 de maio de 2012

Tuas mãos moldem o meu corpo

 

Soledad Fernández (22)

Quero que as tuas mãos moldem o meu corpo

lhe dêem uma nova forma.

Quero sentir a paixão.

O desejo na ponta dos teus dedos.

Rafaela

 Imagem de Soledad Fernández

Tomo um chá contigo meu amor

417253_195381330566854_165283486909972_338189_59493152_n

Tomo um chá no vale do amor....
Com a tua alma que me dá calor...
Gabriela Vitória

Estou mais perto de ti porque te amo

                                                                    

Eva Antonini - 1

Estou mais perto de ti porque te amo.
Os meus beijos nascem já na tua boca.
Não poderei escrever teu nome com palavras.
Tu estás em toda a parte e enlouqueces-me.

Canto os teus olhos mas não sei do teu rosto.
Quero a tua boca aberta em minha boca.
E amo-te como se nunca te tivesse amado
porque tu estás em mim mas ausente de mim.

Nesta noite sei apenas dos teus gestos
e procuro o teu corpo para além dos meus dedos.
Trago as mãos distantes do teu peito.

Sim, tu estás em toda a parte. Em toda a parte.
Tão por dentro de mim. Tão ausente de mim.
E eu estou perto de ti porque te amo.

Joaquim Pessoa

Imagem de Eva Antonini