domingo, 24 de junho de 2012

“Olho-te sempre…que julgas não olhares para mim”….Magá Figueiredo

Saudade...

Stanislav Sugintas-3

Sabes tão bem o quanto vives em mim...

Quanto me tens a cada dia, num inicio sem fim.

Vivencio-te como alguém real em minhas rimas

Os sentimentos voam, dão asas as lágrimas...

Que renascem sorrindo ao lerem suas palavras.

Nos meus sonhos, nossos pensamentos se atraem.

Todos os sentimentos represados acontecem...

Nas asas que me destes, sinto a liberdade de voar.

Sobrevivendo em mim a vontade desse doce amar

Deixando-me contigo apaixonadamente embalar...

Tornamos-nos livres para sermos pura essência.

Gravamos no tempo o entrelace dessa história...

Escrevo em cada estrofe o querer dessa constância

São para Ti, minhas palavras na assonância...

Sem pensar em ausência, tempo ou distância!

Ofereço para Ti meus dias e noites em sonhos...

É assim que partilho contigo os meus desejos...

Na ausência de sua presença, farei meus versos.

Inspirarei do vento seu perfume que me invade

Tatuando em minha pele: A saudade!

Tatiana Moreira

Imagem de Stanislav Sugintas

Eu sei

Stanislav Sugintas-5

Tudo o que é verdadeiro sobrevive ao tempo

Permanece em mim em tudo o que vivi

Fazendo pulsar forte o meu coração

O tempo passa veloz...

E nada muda ou se desfaz

Ainda...

Estão em meus olhos o brilho dos teus

Na minha pele sinto o seu calor

Em minha audição ressoa a sua voz

Os meus lábios guardam o seu sabor

Mas é a minha alma,

Quem mais sente...

E nos momentos de intensa saudade,

Clama ardentemente o nosso reencontro

Eu sei...

Vidas e mais vidas podem passar

E para sempre junto a ti, eu vou estar!

Tatiana Moreira

Imagem de Stanislav Sugintas

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Põe-me as Mãos nos Ombros

Katya Gridneva - 1

Põe-me as Mãos nos Ombros...

Põe-me as mãos nos ombros...

Beija-me na fronte...

Minha vida é escombros,

A minha alma insonte.

Eu não sei por quê,

Meu desde onde venho,

Sou o ser que vê,

E vê tudo estranho.

Põe a tua mão

Sobre o meu cabelo...

Tudo é ilusão.

Sonhar é sabê-lo.

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

Imagem de Katya Gridneva

Tenho Tanto Sentimento

ElenaYushina-4

Tenho tanto sentimento

Que é frequente persuadir-me

De que sou sentimental,

Mas reconheço, ao medir-me,

Que tudo isso é pensamento,

Que não senti afinal.

Temos, todos que vivemos,

Uma vida que é vivida

E outra vida que é pensada,

E a única vida que temos

É essa que é dividida

Entre a verdadeira e a errada.

Qual porém é a verdadeira

E qual errada, ninguém

Nos saberá explicar;

E vivemos de maneira

Que a vida que a gente tem

É a que tem que pensar.

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

Imagem de ElenaYushina