domingo, 1 de março de 2015

66

Amores imortais
Quem disse que aquele amor esta morto?
Sei que respira e pulsa mesmo quieto...
Como seria nosso caso inesperado de amor
Seria debaixo de alguma chuva torrencial?
Encostado nalguma árvore bem frondosa
Bem escondido entre a folhagem espessa
Os corpos molhados se tocando devagar
Peles úmidas que se procuram silenciosas
E ocorrem correntes elétricas no sangue
Tamanha quantidade de arrepios da pele
E partes de nosso corpo ganhariam vida
Saiba que amor é poesia e a poesia é amor
Soubemos encontrar nessa nossa paixão
São os segredos escondidos no seu coração
Que ecoam nas batidas desesperadas do meu
Enquanto lágrimas rolam feito tempestade
No exato momento em que tu nega me amar
Essa sua boca sente o prazer de meu beijo
E suas mão apertam o meu ausente corpo
Lembranças perfeitas de sonhos desfeitos
Pois os amores assim nunca morrem...
Eternizam em sua mais suave essência

Luizão Bernardo

3 comentários:

  1. Amor que é amor de verdade não morre nunca, mesmo após uma separação. Linda poesia!

    ResponderEliminar
  2. Estou plenamente de acordo ! Amor que é amor já mais morre !

    ResponderEliminar
  3. Estou plenamente de acordo ! Amor que é amor já mais morre !

    ResponderEliminar