quinta-feira, 19 de março de 2015

Kimberly Dow

Sou vento que acaricia teus cabelos
beija os lábios
sopra a nuca
como moinhos que mói o trigo das
searas quentes!
Em remoinho fica a vontade de amar
Onde o vento te possui lentamente,
num frio húmido
sinto tua língua nos meus pés
Teu corpo invernal!
Sente o vento que sussurra no teu ouvido
quero ouvir teu gemido
Entra em mim doce prazer
cruza tua língua com a minha
beija-me ama-me
Quero teu corpo junto ao meu
Teu calor de desejo.
Gabriela Vitória ---- Gaya

Imagem de Kimberly Dow

2 comentários:

  1. Olá, Gabriela.
    Um poema quente como vento de verão!

    ResponderEliminar
  2. Olá querida Ana, a alma gosta de ventos quentes e suaves! :-)

    ResponderEliminar